terça-feira, 15 de novembro de 2016

Shiuuuu.15.11




Aconchego

São 21 horas. Estás deitada na sala ao meu lado com a tua cabeça sobre o meu ombro. Olho para ti e adormeceste. Acordaste às 06 da manhã, foste para a faculdade onde estás a tirar Medicina. Saíste das aulas a correr para apanhares o comboio que te trás para o teu emprego onde ficarás até às 20.

Vens para casa, trazes o peso do Curso e os casos complicados que te surgiram no emprego nesse dia. O teu ar é cansado, mas ainda assim sorris porque estás a concretizar o teu sonho.

Enquanto sinto a tua baba inundar-me o peito, experimento um misto de orgulho e de conforto. Orgulho na mulher que está aqui deitada ao meu lado e que luta diariamente pelos objectivos que traçou para a sua vida e conforto por sentir que aqui nos meus braços nada de mal te vai acontecer.

O meu braço começa a ficar dormente, mas não ouso sequer tirá-lo debaixo da tua cabeça; o meu sacrifício comparado com o teu nada pesa.

Quando te conheci fiz-te algumas promessas, todas elas cumpridas até ao dia de hoje. A mais importante que te fiz foi a de que te iria sempre proteger. Quero que os teus sonhos sejam também os meus, que as tuas vitórias sejam também as minhas e que a tua felicidade seja uma constante.

Enquanto dormes, exausta, mas tranquila, recordo tudo aquilo que já me deste. A tua entrega, a tua esperança que muitas vezes me emprestaste por a minha andar perdida.
Antes de chegares a casa, aspirei-a, fiz o jantar, limpei o cocó das nossas gatas, apanhei a roupa que estava estendida e assim tive-te um bocadinho só para mim, sem precisares de fazer mais do que me dares uma hora da tua companhia. Hoje dou mais valor ao Tempo, aproveito os segundos, porque cada segundo é importante. Vives a mil à hora, vivemos a mil à hora, mas quando conseguimos parar e termo-nos um para o outro tudo faz sentido e vale a pena.

Enquanto dormes nos meus braços eu sei que o teu lugar é ali naquele exacto momento e que eu não quereria estar senão ali, junto a ti.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Shiuuuu.26.10




Eu passei anos pensando em você, em como seria se você me escolhesse. Como seria se você me amasse, como seria se você fosse ao menos um amigo pra mim. Passei anos, até décadas quem sabe sonhando contigo. Cliquei mais de mil vezes nas suas coisas para você se sentir feliz ou para eu pensar que estavas feliz assim. Fui te ver mais de uma vez e quando não ia pensava que deveria ter ido te ver, te prestigiar mesmo sem ter sido convidada. Divulguei teu trabalho para muitas pessoas, fazendo propaganda pra você. Te procurei no maldito Tinder durante uma semana, te dei like e você não respondeu. Te procurei mais uma semana no maldito Tinder e constatei o óbvio você simplesmente não quer nada comigo pois te dei o maldito Super Like e você não respondeu de novo, nenhum sinal de vida. Eu finalmente desisti de você! Foi tarde demais talvez, mas eu finalmente desisti. E isso significa que você perdeu as chances comigo, já que você nunca me deu uma chance. Eu fiz de tudo, tentei te impressionar de todos os jeitos, de todas as formas. Sabe acabaram minhas fichas. Agora eu vou ser só eu, sem tentar te impressionar e não eu não peço perdão por ser quem eu sou e ter feito o que eu fiz pois tudo o que fiz  foi por amor.  

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Shiuuuu.20.13





Olá!
Eu sou o S., e vou nascer em breve.
Sei que a minha mamã acompanha o shiuuuu à muito muito tempo e, sei também, que o shiuuuu lhe deu a conhecer uma pessoa muito especial. É para ela que se dirigem estas palavras.
Tia H., (posso chamar-te de tia, não posso? Sei que não é de sangue, mas é de coração, tu sabes).
Tia H., obrigada por estares sempre do lado da mamã, a apoiá-la e dar-lhe força sempre que precisa. Nós sabemos como muitas coisas têm sido tristes e complicadas nos últimos meses...

Shiuuuu, obrigada por trazeres pessoas que, do nada, se tornam tão importantes na vida de quem te acompanha todos os dias. Ainda não nasci e já te visito tantas vezes!


Tia H., esta é uma maneira de te dizer que a mamã acabou de saber que sou um menino. Então, pensamos juntos em dar-te a notícia, de forma diferente e personalizada, para te mostrarmos o quanto és especial para nós.


Tia H., vens ajudar a mamã a preparar o chá do bebé, com direito a barriga de gesso e sessão fotográfica para registar todos os pormenores, para eu ver mais tarde, quando crescer? Prometo mexer-me muito, como é habitual, para que tu possas sentir-me na barriga da mamã.
P.S.: eu e a mamã gostamos muito muito de ti, mas shiuuuu...

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Shiuuuu.14.11



Sempre me disseste que nunca me irias esquecer,  eu sempre te disse que achava isso assustador. 
Eu também não te esqueço, mas se te visse na rua, não te falaria. Mudava de passeio. Virava a cara. Se te falasse, talvez dissesse: 
'Usei-te, sabias? '

Desde o dia em que descobri que me tinhas armado uma cilada com a tua 'carta de amor', escrita em papel envenenado. Nesse dia, fez-se luz e vi que eras louca. E vi que o futuro ía ser curto.

Aos pouco fui entendendo o teu esquema. Dizias que eras uma pessoa sem esquemas, sem planos. Que eras transparente....e depois pegavas nas minhas inseguranças e jogavas comigo.

És uma mulher perigosa. Tenho pena da pessoa que estiver contigo ao teu lado. 

Com uma voz doce e serena, embalavas-me. 'O que se passa? Fala comigo' e eu, idiota, falava. Abria o meu coração e falava. E no momento certo, tu agias e mexias nas minhas fragilidades. Quantas vezes te disse que me punhas nas estrelas e no segundo seguinte atiravas-me ao chão?

Nem fui feliz ao teu lado. :) Bem, a dada altura pensava que sim. Mas eram os anti-depressivos a trabalhar.

Acho que o pior que te aconteceu, foi eu ter começado a melhorar da profunda depressão em que me encontrava e os anti depressivos começaram a ser retirados. Foi quando comecei a entender o que fazias.

E aí sim, comecei a fugir e a resgatar a minha antiga vida. E resgatei sabias? Eu sei que  tu sabes. Eu sei que sabes que tenho agora a família que sempre desejei ter. 

E acabou, quando eu quis que acabasse. Brinquei contigo, mereceste isso.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Shiuuuu.14.11




Apaixonei-me por ti... pela tua cultura, gostos pessoais e convicções... pelo som do teu sorriso e as tuas piadas maliciosas.
Apaixonei-me... e magoou-me quando disseste que não sentias o mesmo. Sei que não passou de manipulação: tu sabias o que eu estava a sentir e o teu ego fez-te continuar este jogo até ao dia em que tivesses de me destroçar.

Agora só quero roubar um bocado da tua alma, roubar a forma como vês a vida...
Não serás mais único… e eu não serei como tu, serei eu mesma, mas no final levarei mais de ti do que tu alguma vez levarás de mim e essa será a minha vingança!

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Shiuuuu.13.11


segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Shiuuuu.12.10


quarta-feira, 15 de junho de 2016

Shiuuuu.15.11




Odeio-te! Odeio-te por teres feito com que eu tivesse que tomar a decisão mais difícil da minha vida. Traíres-me e agredires-me nem sequer se compara ao facto de pores na minhas mãos a decisão de tirar a vida a um ser inocente! Um ser sem culpa do pai ser uma pessoa monstruosa, desprezível, desequilibrada e a mãe uma idiota que se deixou levar nas suas conversas! 

Sei que foi melhor assim, que raio de vida poderia eu dar ao meu pobre feijão, solteira, sozinha, sem casa, sem condições...? Matar-me-ia a trabalhar para que nunca lhe faltasse nada, mas e amor? Quando lhe daria amor? Entre tanto trabalho para que nunca lhe faltasse nada, faltar-me-ia o tempo para lhe dar educação, afeto, valores e princípios...

Odeio-te...! Estaria prestes a completar 9 meses, sabes?! No silêncio da madrugada deito uma lágrima por não estar a segurar o meu barrigão de 9 meses... Odeio-te....! Sei que foi melhor assim, mas odeio-te... Odeio-te por teres usado a tua capa comigo e me teres metido nos teus joguinhos, odeio-te por não teres princípios nenhuns e fazeres com que eu nem sequer pudesse ponderar em deixar que fosses o pai do meu feijão... 

Odeio-te por o aniversário da minha melhor amiga estar marcado pelo sangue do meu feijão... por sempre que pensar em ter filhos achar que não vou ser capaz por me sentir culpada pelo que fiz... Odeio-te por fazeres com que assim que conheço alguém não consiga confiar... Odeio-te porque sempre que entro em intimidade com alguém não consiga desfrutar do momento pelo enorme pânico que sinto que volte a acontecer.... e odeio-me a mim por ter um sentimento tão ruim dentro de mim... 

Sabes, no fundo sou apenas uma pedra da calçada que ficou deformada com tanto pontapé que levou... Sou cheia de sentimentos e ter um sentimento destes dentro de mim, corrói-me todos os dias mais um pouco...